A Chica Chata I

Alguem já ouviu falar da Chica Chata não?
E se não sabem nada a respeito vou descrever quem era a Chica.
Chica era nada mais nada menos que a costureira da minha mãe. Uma criatura que nasceu para confeccionar os mais lindos vestidos quase de uma cidade inteira.
A moda corria solta naquela casa e a fila para obter os lindos vertidos da Chica era enorme e se estendia o ano inteiro pois as freguesas ao pegar as suas encomendas já deixavam outros pacotes com os mais lindos tecidos vindos de São Paulo e Rio de Janeiro. E eu, era o pingo de gente, levada da breca que não saia do pé da máquina da chica. A máquina era daquelas mais simples que se pode imaginar movida a pedal. Não existia por ali aquelas máquinas, que facilitam a vida das costureiras. E eu com meus sete anos de idade, depois de voltar da escola não queria saber de brinquedos não. Meu negocio era aquele mundaréu de tecidos de todas as cores. Rendas, brocados, sedas, crepes, cambraias, tafetá, organdi, tricoline, linho, cashemere ou caxemira enfim eu sabia o nome de todos eles de cor e salteado. Eram a minha paixão. Eu adorava e ainda amo tecidos.
Com a Chica aprendi  todos os segredos da costura, de tanto ficar no seu pé. Vê aquela máquina velha e bem cuidada no seu cotuco - cotuco deslizando em cima dos tecidos e a Chica com a fita métrica na mão, costurando num ponto que dava gosto de se ver e depois sem deixar uma linha para contar história. Aquilo pra mim era o paraíso!

Comentários